Conferência Internacional do Trabalho 2022

Jemimah Nyakongo, membro do Comitê de Trabalho Internacional da HNI e Presidente da HomeNet Quênia dirige-se à Comissão Geral de Debates sobre Trabalho Decente e Economia Social e Solidária.

31 de maio de 2022

Meu nome é Jemimah Nyakongo. Sou membro do Comitê de Trabalho Internacional da HomeNet International, uma rede global de trabalhadores domiciliares que representam coletivamente mais de 600,000 trabalhadores domiciliares. Eu sou um trabalhador doméstico do Quênia e presidente da HomeNet Kenya.

A ESS é um tópico de discussão muito importante para trabalhadores domiciliares – assim como outros trabalhadores da economia informal, como vendedores ambulantes e de mercado, catadores, trabalhadores domésticos, entre outros – já que muitos de nós nos organizamos como cooperativas, auto-ajuda grupos, fundos de benefício mútuo, empresas de propriedade de produtores e muitas outras formas de ESS. Nossas organizações são de propriedade e administradas pelos trabalhadores de maneira democrática. Não somos uma empresa social e definitivamente não somos uma responsabilidade social corporativa. Somos uma organização democrática que pertence aos trabalhadores e opera para beneficiá-los.

No Quênia e em outros países da nossa rede, os trabalhadores domiciliares fabricam muitos produtos diferentes, sendo os produtos artesanais e agrícolas especialmente importantes. Nossas organizações de ESS onde trabalhamos coletivamente nos ajudam a compartilhar recursos, acessar mercados, treinar-nos em novas habilidades, apoiar uns aos outros e, na ausência de emprego formal, nos fornecem meios de subsistência. Nossas organizações, de fato, eram a única forma de organização que poderia nos fornecer trabalho e renda durante a pandemia. Eles nos deram apoio emocional e prático.

A formação de organizações de ESS é uma forma de nos ajudar na transição da economia informal para a formal, de acordo com a Recomendação 204 da OIT. sustentabilidade.

Enfrentamos muitos desafios, incluindo as dificuldades de acesso a mercados e sustentação de nossas organizações. Precisamos de um ambiente propício para o desenvolvimento e sustentabilidade: precisamos de legislação e políticas de apoio, apoio financeiro, apoio para treinamento e qualificação. Além do apoio do governo, gostaríamos de receber apoio e forte cooperação com nossos irmãos e irmãs no movimento sindical.

Compartilhe